AMOR E RELACIONAMENTOS/CINEMA/PSICOLOGIA

Marilyn no Divã

marilyn no dica alegre

Los Angeles, 8 de Agosto de 1962. No calor do verão da Califórnia o doutor Greenson estava transtornado, com a barba por fazer e cansado. Ele toca para o legista a fita de 40 minutos. ” Você sente que está no limite da loucura, mas não é loucura realmente… Marilyn fala. Sua voz está no limite das palavras, essa voz do além parece vir de um sonho. ” Sempre tenho esse sentimento secreto de que eu na verdade sou uma farsante, uma falsa, você sabe como as pessoas se sentem sobre si mesmas.” John Minner pergunta ao psicanalista: __ O que ela significava para você, era apenas uma paciente ? __ Ela se tornou minha filha, minha dor, minha loucura. O que aconteceu naqueles 30 meses em que Marilyn e seu psicanalista se deixaram levar pela loucura de uma terapia sem limites ? Em 17 de Agosto de 1962 o caso foi encerrado. Quarenta anos depois, Minner não se perguntava mais quem matou Marilyn e sim o que a matou. O cinema, o sexo, a política, a loucura ou a psicanalise ?

título original: Marilyn Dernieres Seances

áudio: legendado/dublado português br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s